Páginas

Beija-Flor

O trissar do beija-flor hoje me despertou
Para uma manhã ensolarada – calor
As flores não murcharam em seus vasos
Por causa da infelicidade que hora passo

Mais verdes estão as plantas do jardim
A despeito da falta de cor em mim
E brotam lentamente as sementes
Ao invés do vazio em minha mente

As nuvens que agora passam devagar
Não turvam como as lágrimas o olhar
Sopra em meu rosto o vento do Norte

Voa o beija-flor para outro lugar
Deu-me de repente vontade de voar
Na esperança de mudar a minha sorte.

Um comentário:

anete joaquim disse...

É mesmo, adriana. Às vezes os pássaros, a beleza da Natureza, o belo, enfim, são capazes de nos levar as mágoas para bem longe. Obrigada pela visita ao meu blogue e por este poema, que, pelo que me parece, tenta deixar-me um pouco de esperança. Nunca mais escrevi. Aquela fase depressiva já passou. Obrigada na mesma. bjs