Páginas

Mar Morno


O hálito quente do dia
Acorda-nos ao nos tocar o pescoço
E como água despejada sobre o teto
Invade a luz do sol
O quarto a cama
Afogados no calor da manhã
Suamos
A caminho do trabalho
Os pés são rochas marinhas
Rolando sobre a areia
Da vida-ampulheta
A tarde mar alto
Perdidos estamos
É tudo céu ou mar
Mar morno
Mormaço
Nos olhos – chama
Nas mãos ardor e
Cansaço
A noite onda lânguida
A nos trazer de volta
Para casa
O forno acolhedor do lar
Abraço quente de amante
Sono vaporoso
Sonhos sensuais
Quente, mas não muito

Nenhum comentário: