Páginas

Gotas de Versos

Caiu uma gota de verso no meu pranto

E muitas rimas raras fizeram-me chorar mais

O lençol branco, como uma página em branco

de uma história de amor que não escrevi

palavras deixadas no vidro embaçado da janela

vejo a chuva através da janela

e nas poças d'água a cidade em miniatura

cidade azul, dia azul

olho para o chão, não vejo o céu

não quero ver o céu

a mente está tentando se concentrar numa frase

que eu não escrevi

eu não sei falar de mim

e leio-me em todos os poemas

em todos os livros

que estão empilhados na velha livraria

de lágrima em lágrima o verso flui

recria-se em estado de chuva

chuva fina, chuvisco

a mão estendida para sentir as gotas

melhor deixar molhar o sentimento

que afogar o pensamento

num verso triste...

2 comentários:

Pandora disse...

Adriana:

Very good your verses. ¿You like Maiakovski? Of Maiakovski enchants the poem to me "The Vertebral Flute". Another of my favourites is Konstantino Cavafis, extremely beautiful encounter its poem "Itaca".

Greetings

Osc@r Luiz disse...

Olá, minha amiga.

Jà está passando da hora de ter alguma coisa sua lá no Flaninando.
Me empresta esse?

Um beijo e um ótimo final de semana!