Páginas

Os olhos do meu amado

Os olhos do meu amado
Olharam-me com queixumes
E o brilho mágico do seu olhar

Perdeu-se no meu


Seria uma palavra sentida

Ou uma frase reclamante
O que dizia este olhar

O que calava os lábios seus?

Ah o seu olhar sempre tão reconfortante
Fugiu-me qual beija-flor

Deixando-me sozinha um instante


Os olhos pediam-me suplicantes

Era quase um grito o desespero seu

A reclamar meus lábios de amante.

6 comentários:

Ana disse...

Quando os olhos dizem aquilo que os lábios calam, é que nasce a verdadeira poesia.
Um beijo.

O Profeta disse...

O começo!
Uma viagem no Mundo presente
Será que o vento açoita as árvores
Ou são elas que cedem ao embalo docemente

Gostava que sentisses o embalo das palavras

Bom fim de semana


Mágico beijo

Bill Stein Husenbar disse...

Quando ficamos hipnotizados pela pessoa que amamos... Perdemo-nos do mundo que criámos e conhecemos um novo...

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/

Paradoxos disse...

na perfeição!!

Cadinho RoCo disse...

Tanto a dizer dos olhos. Tanto a sentir do ser amado. Tanta razão para viver o amor com toda intensidade, que chega a ser difícil entender porque tantos desprezam tão nobre sentimento.

acqua disse...

Sua escrita me encanta e olha que eu te descobri há pouco tempo e já revirei seu blog pelo avesso.
Deixo-te o convite, não sei se já o fiz, mas segue. Dia 30 de julho haverá uma nova edição do Coletânea Artesanal www.coletaneartesanal.wordpress.com e será um prazer ter o seu escrito por lá. Abraços meus...